The Last of Us 2: Funcionários da Naughty Dog acusam empresa de más condições de trabalho

17/11/20

Por trás de um qualquer jogo há muito trabalho e muita cobrança para que cumpram prazos e atendam os padrões de exigência e qualidade esperado pelos estúdios e pelos jogadores. Quando o assunto são jogos AAA feitos de forma artística para concorrer a prêmios, como é o caso de games como The Last of Us.

E The Last of Us Part II é o mais recente jogo centrado na discussão em curso sobre a cultura de crise, já que vários funcionários da Naughty Dog se manifestarem sobre os ciclos de desenvolvimento supostamente pesados ​​do estúdio. Pode-se pensar que o atraso de The Last of Us Part II, que atrasou o jogo em vários meses, aliviaria parte da pressão para terminar o jogo o mais rápido possível e enviá-lo, mas de acordo com funcionários da Naughty Dog entrevistados em um relatório da Kotaku na cultura da empresa, significou apenas mais alguns meses de crise.

Outros têm ponderado desde o relatório divulgado para elogiar a equipe da Naughty Dog ou corroborar as histórias. O relatório da Kotaku disse que a cultura da crise na Naughty Dog não é um segredo, mas os funcionários estão se perguntando quanto tempo esse tipo de coisa pode durar. Quando o atraso foi anunciado, muitas pessoas que estavam ansiosas pelo jogo fizeram os mesmos comentários que costumam fazer quando o jogo está atrasado: gaste todo o tempo necessário para fazer o jogo corretamente.

Um desenvolvedor não identificado da Naughty Dog disse que o ritmo não diminuiu depois que o atraso foi anunciado e que a crise continuaria. "As pessoas que pensam que a extensão é de alguma forma para aliviar o estresse ou a carga de trabalho da equipe estão erradas", disse o desenvolvedor. "A primeira coisa que eles queriam reiterar é que não estamos diminuindo o ritmo". Alguns disseram que o próximo jogo tem "um custo enorme para as pessoas" trabalhando nele, enquanto outros sugeriram que esperavam parcialmente que o jogo falhasse em mostrar que a cultura da crise não é o caminho para criar jogos.

Neil Druckmann, vice-presidente da Naughty Dog, recentemente elogiou os animadores e desenvolvedores após a análise perspicaz das práticas de desenvolvimento da empresa. Seja para uma refutação do artigo ou um simples elogio para a equipe, foram recebidas respostas e perguntas sobre a cultura da crise. Jonathan Cooper, ex-animador da Naughty Dog que trabalhou em The Last of Us Part II, ofereceu sua própria opinião sobre animação e trituração e disse que o tempo gasto na demo lançada no ano passado exigia "semanas de recuperação depois".

Infelizmente isso é uma acusação muito séria, que se for verdade, coloca a Naughty Dog em uma situação delicada, já que aparentemente não está visando a qualidade de vida de seus funcionários e ignorando a própria vontade dos fãs que não se importam com atrasos contanto que o jogo atenda o padrão de exigência do público mantendo o padrão do primeiro game.

Antes de qualquer conclusão, vamos aguardar o desenvolvimento das denúncias e relatórios futuros.

Por: PhMordred

As notícias mais quentes