(Sem Spoiler) Viúva Negra: Uma Alegoria à Relacionamentos Abusivos

9/7/21

Finalmente Viúva Negra está disponível nos Cinemas e via Premiere Access no Disney Plus e com ele muitas coisas interessantes precisam ser ditas sobre o primeiro filme solo da Vingadora presente em grande parte dos filmes do Universo Marvel e com as maiores coreografias de luta em cada um dos filmes em que participou.

Vamos fazer uma breve análise sobre o filme e alguns assuntos muito interessantes que são abordados no filme, tornando a obra ainda maior e mais significativa para os fãs que a assistem e acima de tudo se afirmando como um filme empoderador e certeiro em sua mensagem, portanto, se você quiser saber minha humilde opinião, fique a vontade para ler e sinta-se livre para comentar nos posts em qualquer uma das redes em que você teve acesso à este artigo.

Recentemente assiti a um filme fantástico, que não possui nenhuma similaridade com Viúva Negra, mas me fez refletir sobre o papel do homem no relacionamento e o sentimento de posse que muitos têm por causa de históricos familiares abusivos, insegurança, fragilidade e necessidade de poder. O longa chamado A Vigilante (que você vê o trailer aqui) mostra uma mulher sobrevivente de agressões e abusos que ajuda mulheres presas nesta situação e talvez por estar com esta memória ainda recente em minha mente foi mais fácil observar diversos paralelos com Viúva Negra e todas as consequências que isso possui na vida de todas as mulheres, até mesmo as vistas como fortes.

Por diversos momentos, Viúva Negra mostra o quão importante é o papel da família na construção de caráter e discernimento entre o certo e o errado, porém, meninas são tiradas de seus lares ainda cedo, para serem privadas do desenvolvimento destes conceitos, pois quanto mais jovem, mais sugestionável e mais fácil de obter controle sobre seu ser, seu corpo, vida financeira (forçando a dependência) e até mesmo seus pensamentos.

O longa também nos mostra uma figura masculina imponente, poderosa e extremamente controladora, dotada de um ego inflado e uma aversão às mulheres, tendo apenas uma ânsia por controle e poder, controlando através do medo e de mentiras, somos novamente apresentados a realidade de muitos lares em que mulheres estão presas e não podem ver uma saída, mulheres que muitas vezes tem o desejo e até mesmo a força para reagir, lutar e resistir, mas não consegue por simples medo, bloqueio ou por não se sentir poderosa o bastante.

Dividir para conquistar é uma das regras mais antigas da guerra e se mostra efetiva contra qualquer tipo de inimigo, como o inimigo de um homem abusivo são as mulheres, eles fazem o possível para estimular a competição feminina incentivando inveja, intrigas e quando em um relacionamento até mesmo afastando sua mulher ou namorada de suas outras amigas, a forma como isso pode ser superado é justamente com a união das mulheres, do apoio mútuo e suporte entre as que conseguiram sair de relações abusivas e violentas, se A Vigilante (citado anteriormente) nos mostra isso de forma crua e literal, Viúva Negra nos faz uma alegoria e sutilmente mostra para cada mulher o poder que existe dentro dela.

Talvez esta visão possa estar errada, talvez este seja apenas mais um filme de ação, afinal, porém, é difícil sustentar que este é apenas um entretenimento vazio após as sequências finais do filme, principalmente durante o maior confronto presente no longametragem, mas isso fica ao critério dos fãs, que podem assistí-lo apenas como entretenimento, ou como uma bela lição de empoderamento e libertação. Além, é claro de mostrar que é possível existir amor, respeito, amizade e reciprocidade entre mulheres e de mulheres com homens (embora alguns deles não reconheçam a grandeza de uma boa amizade, almejando outros tipos de relacionamentos).

Aspectos Técnicos e Considerações Finais

Indo ao ponto em que todos estão falando, Viúva Negra é uma obra grandiosa, mas infelizmente lançada com muito atraso, o filme possui limitações dado ao trágico destino de Natasha em Vingadores Ultimato, mas nos mostra um ponto interessante sobre o que aconteceu aos heróis envolvidos na Guerra Civil após os eventos dos filmes, enquanto vimos vidas "sossegadas" de Clint, Wanda, Visão e Scott, sob vigilância do governo ou exílio na Europa, não tínhamos dimensão do que havia acontecido à Natasha, Sam e Steve que aparentemente continuaram à lutar pelas pessoas do mundo.

Localizando o filme dentro da cronologia da Marvel, ele se inicia logo após a batalha do aeroporto e finaliza momentos antes do pós créditos de Guerra Civil, dando um significado para cada um dos componentes do traje da Viúva Negra no longa.

Por ter limitações criativas, o filme apela para referências e ótimas sequências de ação, tendo como ponto alto o Treinador, que possui grande importância para a trama. As atuações são impecáveis e podemos dar créditos à David Harbour, que dá vida ao Guardião Vermelho, um personagem idealista, caricato e desiludido com pessoas no poder de sua nação que deixaram a ganância por poder superar qualquer ideal revolucionário que um dia fundou a União Soviética (porém, a construção de algumas coisas a respeito disso faz o filme soar como uma grande crítica à União Soviética, quando, possivelmente deve ter sido uma crítica ao atual presidente da Rússia, Vladmir Putin, no poder desde a queda do regime).

Os personagens possuem grande carisma, ganhando o público logo em suas primeiras aparições e nos fazendo torcer para novas aparições, referências e até mesmo uma sequência protagonizada por alguns deles. Cate Shortland conseguiu extrair o melhor de cada componente do elenco mesmo sendo inexperiente diante de outros grandes cineastas que já passaram pela Marvel Studios. O roteiro infelizmente sofre com as limitações impostas pela sagrada linha do tempo, mas a pesar dos pesares consegue cumprir seu objetivo com uma história linear e que consegue fazer sentido, mesmo sendo um longa que deveria ter sido lançado em 2017, logo após a Guerra Civil.

Vale a pena conferir Viúva Negra por todo o legado que a personagem deixou no Universo Cinematográfico Marvel e por toda a representação e mensagem de empoderamento e união presentes no longa.

Por: PhMordred

As notícias mais quentes