PlayStation: Crítico de Cinema analisa Aspectos Cinematográficos de Jogos Exclusivos

23/1/21

Há alguns meses, mostramos um crítico de cinema reagindo à The Last of Us Part 2 e sem nunca ter jogado o game consegue identificar diversos aspectos da história simplesmente analisando os aspectos cinematográficos da história indo desde cenários até decisões dos personagens.

Na ocasião, os fãs reagiram positivamente ao vídeo, estimulando o crítico Raphael 'PH' Santos a criar mais conteúdos voltado ao público gamer, analisando principalmente aspectos cinemáticos de jogos exclusivos como Ghost of Tsushima, Marvel's Spider-Man: Miles Morales e até mesmo uma análise completa da cena de perseguição em Uncharted 4: A Thief's End.

Antes de continuar, confira nossa Caneca oficial com design exclusivo.

Analisando a cena de perseguição no quarto título da série Uncharted, PH observa toda a sequência de ação que envolve Nathan Drake e seu Irmão fugindo dos mercenários contratados por Rafe Adler que estão sob o comando da perigosa Nadine Ross da Shoreline.

O plano mostra Drake e Sully em um jipe escabando de um veículo blindado onde o plano de ação se altera repetidas vezes para sequências com interesses de câmera diferente, PH ressalta a influência do cinema asiático e italiano na cena e os elementos que trazem familiaridade e noção de inserção em ambientes comuns ao público que joga e assiste.

A sequência é muito elogiada e por vezes comparadas à filmes de ação renomados como O Resgate e outras obras do ator Jackie Chan. Você pode observar mais desses aspectos e entender o jogo de um ponto de vista cinematográfico assistindo ao vídeo acima.

Já sobre Marvel's Spider-Man: Miles Morales, ele observa uma direção diferente, mas ainda assim com muita influência cinematográfica que atrai o espectador para o jogo. Uma boa observação feita logo no início do jogo, é que a história se inicia no subsolo com Miles em um metrô e como sabemos, o jogo é uma história do personagem se descobrindo como Homem-Aranha e seu heroísmo, culminando com o personagem sendo um herói que passa a maior parte do tempo por entre os topos de prédios em Nova York.

Dentre os elogios de PH ao jogo e sua sequência inicial estão o posicionamento de câmera e difença entre Miles e Peter como sendo duas versões claramente diferentes de Homem-Aranha, com o novato agindo de fato como uma pessoa inexperiente e mais descuidada que o Cabeça de Teia original que na história já exerce seu heroísmo ha algum tempo. A trilha sonora também é elogiada, pois dá identidade ao jogo e ao herói, mostrando que pequenos elementos fazem toda a diferença na gameplay e ambientação, mesmo que o espectador/jogador não perceba isso.

Sobre Ghost of Tsushima, PH consegue oberservar uma influência cinematográfica muito maior principalmente na construção das cenas e das camadas presentes em cena que destacam diferentemente elementos de cenário, ambientes e personagens.

Obviamente o jogo possui grande influência do lendário diretor de cinema japonês Akira Kurosawa conhecido por grandes filmes como Os Sete Samurais. As influências do diretor servem para trazer maior dinamismo e impacto aos jogadores que mesmo em cenas lentas e menos interativas não perdem o foco e sentimento de urgência que a história demanda.

Ele analisa de forma mais descritiva e detalhada cada aspecto da cena indrodutória do jogo que serve para apresentar aos jogadores os principais vilões, convicções de Jin e é claro, todos os elementos que irão conduzir a história desde o início do conto até sua conclusão. Ele ainda consegue destrinchar em pequenas coisas elementos que terão grande impacto no jogo e você pode ver no vídeo acima.

Vale ressaltar que o Crítico não conhece muito do universo dos games e HQs e analisa estes aspectos friamente realizando alguns comentários sobre referências e algumas pequenas observações sobre realismo das gameplays, porém consegue distinguir pontos importantes da trama dos jogos como Simon Krieger ser o vilão principal de Marvel's Spider-Man: Miles Morales ou até mesmo o que conduziria a narrativa de Ghost of Tsushima.

É interessante termos uma visão diferente sobre os games que jogamos rotineiramente sem muitas vezes perceber estes pequenos aspectos que nos conduzem e garantem que nos mantenhamos conectados com as histórias e narrativas. Embora as narrativas sejam importantes pontos e que inevitavelmente analisamos, coisas mais simples como luzes, camadas de cena, elementos como chuva, fogo ou até a trilha sonora nos transmitem mensagens sem muitas vezes percebermos, o que mostra como jogos eletrônicos possuem potencial para ficarem cada vez mais elaborados e refinados.

Por: PhMordred.

As notícias mais quentes