Mortal Kombat 11: Konqueror tem visto negado para disputar Mundial

17/11/20

O brasileiro Wellington 'Konqueror249' está correndo o risco de ficar fora da Kombat Final, mundial de Mortal Kombat 11 que ocorrerá entre os dias 7 e 8 de março nos Estados Unidos, pois o nosso kombatente teve seu visto negado pelo consulado dos EUA.O jogador diz ter esperanças de disputar o mundial após ver a repercussão do seu caso na internet e redes sociais, com seu visto rejeitado outras quatro vezes, Konqueror questiona a facilidade com que estrangeiros conseguem visto para disputar campeonatos em território nacional. O jogador deu detalhes sobre sua entrevista no consulado.

"Chegando na entrevista, ao iniciar, eu já senti que o visto poderia ser negado. A entrevistadora era uma senhora de idade, assim como das outras vezes que eu tive o visto reprovado. Logo ela questionou o que eu fazia no Brasil e o que eu iria fazer em Chicago, tendo em razão da minha solicitação de um visto de turista, sendo o mesmo tipo de visto que outros jogadores solicitaram e conseguiram para disputar torneios temporários em solo americano. Respondi que, no Brasil, eu era estudante de Mecânica e que o motivo do meu visto era a disputa das finais do campeonato mundial de Mortal Kombat 11, um campeonato de esporte eletrônico. Após a minha resposta, foi perceptível uma cara de espanto da entrevistadora seguido de alguns pedidos de carta de evidência." Wellington continuou dizendo"Entreguei a ela todas as evidências e algumas matérias como forma de comprovação do meu título latino. Entre elas documentos de renda no Brasil, além de uma carta de evidência da Warner, que constava quem seria o responsável pela viagem, quem seria o responsável financeiro e o período de permanência no país. Apesar de questionar sobre o que eu fazia no Brasil, nenhum documento do meu curso ou de vínculo foi solicitado. Logo após, ela saiu para dentro de uma sala e demorou alguns minutos, após retornar me disse que meu visto estava reprovado."

Em processos de visto estadunidense, caso reprovado, o candidato recebe uma carta explicando os motivos da recusa, no caso de Konqueror, nenhuma informação vinculada ao Esport estava na carta, sendo o único motivo, uma falta de vínculos do brasileiro em seu país de origem. Nesse caso, a reprovação consiste em o governo ter receio que o jogador não volte ao país de origem após a competição, permanecendo irregularmente nos Estados Unidos.A carta de reprovação causou espanto no brasileiro, já que nenhum documento que comprovasse vínculos no Brasil foram solicitados, sendo assim, ele não teve oportunidade de provar seu vínculo no país e suas áreas de atuação, assim como curso que está realizando.

"Com a reprovação, eu recebi uma carta genérica explicando os motivos para a decisão. O argumento foi a “falta de vínculo” no meu país de origem, sendo que as eu tinha apresentado todas as documentações que falava sobre o meu período nos Estados Unidos, a disputa do torneio e os responsáveis pela minha viagem. Além disso, a entrevistadora não solicitou nenhuma documentação que provasse vínculos no Brasil. Os aspectos foram apenas questionados e respondidos."

Mesmo com o crescimento e repercução dos Esports, outros casos de jogadores sendo barrados para competir em outros países ocorreram, segundo Konqueror.

"Além da minha situação, em 2017, três jogadores russos também não conseguiram o visto para atuar no campeonato mundial de Injustice 2. De lá pra cá, eu acompanho casos em diversos jogos que os jogadores tem o seu visto negado para disputar competições. No momento, é difícil acreditar em uma mudança no meio eletrônico, há não ser que o presidente em gestão consiga um bom relacionamento com o presidente em vigor nos Estados Unidos. Até porque na Pro Kompetition que ocorreu na Brasil Game Show (BGS), os norte-americanos conseguiram arrumar a documentação deles em uma semana. Fato que chega a ser injusto com os competidores brasileiros, mas o que podemos fazer - disse o jogador ao ser questionado sobre uma possível mudança no cenário de documentações."

Lembrando que o jogador chegou a se classificar para as finais de Injustice 2 em 2017 e não pode participar devido os mesmos problemas com documentações. Em apoio ao jogador, a hashtag #HelpKonqueror foi levantada para conseguir visibilidade de pessoas influentes que pudessem ajudá-lo a conseguir disputar as finais de MK11.O consulado não deu detalhes sobre a recusa devido questões de privacidade do candidato ao visto.Por: PhMordred.

As notícias mais quentes