Cyberlista: Jogos Icônicos baseados em HQs

24/1/21

Desde a publicação de Action Comics #1 e Captain America Comics #1 o mundo passaria a conhecer um novo tipo de narrativa e histórias que inspirariam pessoas por todo o mundo mostrando o Superman (na época ainda conhecido por Super-Homem) e Capitão América, ambas as revistas em quadrinhos mostravam heróis diferentes em estrutura, história e características, mas compartilhando entre si a moral e desejo de ajudar ao próximo.

Os anos passaram e com o surgimento de novos heróis a indústria das histórias em quadrinhos se tornou um mercado muito rico, movimentando todos os anos milhões de unidades monetárias em quaisquer países que estivessem inseridas, infelizmente após algumas décadas, a indústria passou a sofrer uma depreciação e precisou se renovar, expandindo seu universo para outras plataformas como TV, Cinema e é claro, Jogos Eletrônicos.

Antes de continuar, dê uma olhada em nossa Camiseta oficial com design exclusivo.

Por este motivo iremos listar alguns dos jogos eletrônicos baseados em personagens de histórias em quadrinhos mais icônicos da história.

X-Men 2: Clone Wars (1995)

Em tempos mais simples, este jogo marcou uma geração, pois sem qualquer tipo de tutorial ou espaço livre para testar os controles, você iniciava o game com o Ciclope, líder dos X-Men em um ambiente coberto de neve e rajadas de gelo com um míssel em sua direção, em caso de morte, você poderia escolher entre os demais membros do grupo, Noturno, Gambit, Fera, Psylocke, Wolverine ou então tentar prosseguir com o Ciclope. Posteriormente havia a possibilidade de recrutar Magneto como um personagem jogável.

O jogo é baseado no arco de história atual dos quadrinhos no momento do desenvolvimento. O enredo é narrado por meio da comunicação do Cerebro e do Professor X um com o outro. Cerebro detecta que a raça alienígena tecnorgânica conhecida como Phalanx retornou e contaminou uma instalação de manufatura sentinela.

Injustice: God Among Us (2013) e Injustice 2 (2017)

Injustice: God Among Us é uma história distópica sobre o universo dos super-heróis, nesta história, o Coringa resolve fazer com o Superman o mesmo que fez com o Comissário Gordon em A Piada Mortal, dando ao herói um dia ruim para despertar nele sua loucura interior. Como Clark é o principal herói do universo DC, tudo para enlouquecê-lo deve ser feito em escala colossal.

O Coringa então destrói Metrópolis com uma arma nuclear e faz com que o Superman acredite estar lutando com o Apocalipse fazendo com que o herói matasse Lois Lane no processo. Ao descobrir que sua amada carregava seu filho no ventre, que também não pôde sobreviver, o Superman culpa o Batman por sempre prender e aplicar punições às margens da lei, algo que não mudou a natureza cruel e sádica do Coringa. Após assassinar o Palhaço, o Superman estabelece uma nova ordem reinando sobre o mundo cruelmente obrigando alguns heróis e vilões a formarem uma resistência contra seus atos.

O jogo possui uma sequência e ganhou grande destaque por abordar uma narrativa mais sombria e brutal para heróis consolidados e conhecidos por sua compaxão como o próprio Superman. Ambos os jogos apresentam personagens icônicos como os membros da Liga da Justiça e outros como o Exterminador, Lex Luthor, Robin e Canário Negro. Alguns personagens fora da história foram incluídos em DLCs como General Zod (com Skin do filme Homem de Aço), O Lobo, Raio Negro (com Skin alternativa de Raiden) e até mesmo As Tartarugas Ninja.

Batman Arkham Series (Arkham Asylum de 2009, Arkham City de 2011, Arham Origins de 2013 e Arkham Knight de 2015)

A Série Arkham, como ficou conhecida, é uma série de quatro jogos que contam um pouco da trajetória de Bruce Wayne como o Cavaleiro Negro de Gotham desde seu descobrimento como herói até sua ascensão e suposta morte e aposentadoria da carreira heróica.

O jogo é marcado por uma narrativa mais sombria e madura que outros jogos do morcego, sendo considerada por muitos a série de jogos baseados em personagens das HQs mais prestigiada e melhor adaptada em todos os tempos. Além da ambientação clássica marcada nos filmes de Tim Burton, com muita escuridão e mistério, o jogo carrega grande influência cinematográfica da icônica trilogia de Christopher Nolan iniciada com Batman Begins.

Devido sua direção e roteiro mais elaborados que os demais jogos da época, a Série Arkham foi muito premiada e ganhará uma "sequência" intitulada Gotham Knights sem a presença de Bruce Wayne, mas dando a possibilidade de jogar com muitos outros membros da Batfamília.

Marvel's Spider-Man (2018) e Marvel's Spider-Man: Miles Morales (2020)

Marvel's Spider-Man foi um jogo subestimado até seu primeiro anúncio oficial, muitos outros jogos do Homem-Aranha já haviam sido lançados até 2018 e nenhum parecia atingir a grandeza de Spider-Man do PlayStation 1 ou a qualidade de Spider-Man 2 de PlayStation de 2004 baseado no filme de Sam Raimi. Desde o lançamento do título baseado no segundo filme da trilogia original, todos os outros games do cabeça de teia pareciam repetitivos e seguam a mesma fórmula.

A Insomniac Games, então apresentou um novo jogo com uma jogabilidade mais orgânica e uma história mais sombria, sem perder o otimismo e heroísmo do Amigão da Vizinhança. Alguns vilões clássicos marcam presença no título principalmente ao unirem forças como o Sexteto Sinistro obrigando Peter a cometer sacrifícios e fazer escolhas difíceis. O game também marcou a introdução de Miles Morales, o Homem-Aranha Ultimate que ganhou geande destaque em seu jogo solo.

Marvel's Spider-Man: Miles Morales tinha tudo para ser basicamente o mesmo game de 2018 com uma nova Skin e novos inimigos, mas o que foi entregue foi algo surpreendentemente original, pois mesmo compartilhando muitos poderes iguais aos de Peter, Miles possui sua característica própria e mesmo agindo na mesma cidade que seu mentor, seu jogo possui uma ambientação levemente diferente distinguindo ambos os jogos e trazendo a mesma qualidade nos dois títulos.

Marvel vs. Capcom (1998 - 2017) e Mortal Kombat vs. DC Universe (2008)

Ambos os jogos possuem temática semelhante, o encontro entre universos totalmente diferentes em jogos de luta, embora Mortal Kombat vs. DC Universe tenha apenas um título, ele foi recebido de forma mista pelos críticos e jogadores, dentre os pontos negativos ressaltados estavam a natureza brutal de Mortal Kombat sendo suprimida e os fatalities substituídos por finalizações não violentas e não letais mesmo para os personagens de Mortal Kombat.

Porém algo diferente que foi introduzido neste game foram os danos aos lutadores que aconteciam durante a luta, com rasgos nas roupas, hematomas e cortes, além disso, a possibilidade de ultrapassar o cenário, atingindo outro nível dentro do mesmo ambiente, algo que era muito difícil de ser visto nos primeiros Mortal Kombat em 16 bits e que acabou sendo um dos pontos mais elogiados de Injustice.

Já Marvel vs. Capcom é uma franquia que ganhou diversos jogos e que facilmente é lembrado por fãs mais oldschool da franquia. Este foi um dos primeiros títulos a misturar universos distintos e rapidamente caiu nas graças do público.

Embora tenha ganhado um jogo em 2017 com uma história totalmente original e uma jogabilidade diferente dos demais jogos da franquia que permitia aos jogadores desfrutarem dos poderes das Joias do Infinito, Ultimate Marvel vs. Capcom 3 ainda é um dos jogos mais queridos da série, principalmente por conter lutadores como Chris Redfield, Deadpool e Viewtiful Joe.

Obviamente há muitos outros jogos icônicos que merecem estar em uma possível lista futura como Marvel Ultimate Alliance, o próprio Spider-Man do PlayStation 1 ou até mesmo Justice League Heroes.

E se você é fã de HQs e todo o heroísmo dos personagens mais amados da Marvel ou DC, não deixe de conferir nossa nova categoria do site que contará com novidades e informações sobre as HQs mais icônicas antes mesmo de chegarem ao Brasil. Não perca tempo, descubra mais navegando por nosso site e AVANTE!

Por: PhMordred

As notícias mais quentes