CyberHorus - A crônica de Tot Capítulo 11 - A Batalha

17/11/20

Tot, o deus egípcio dos escribas é famoso pelos seus contos e crônicas, desta vez em conteúdo original, será iniciada uma série escrita que contará a história de um futuro distópico governado pelo misterioso Deus Hórus e suas células de poder.

A história possui elementos Cyberpunk e Steampunk e contará uma jornada de autoconhecimento do misterioso Amon.

Perdeu o capítulo anterior?

Capítulo 11 - A Batalha

Saindo da nave militar, Amon liderou seus amigos até a entrada da Grande Pirâmide de HelioCell, Sin, Hatset e Amon estavam mais confirantes e um pouco temerosos pela situação.

Sin carregava o baú em baixo de um dos braços enquanto levava seu afiado machado dourado e azul. Hatset majestosa como a própria Ísis carregava seu arco logo atrás de Amon que com sua Kopesh na bainha exibia apenas o cabo adornado com cabeça de falcão para fora do grande sobretudo, todos eles com uma manopla na mão esquerda ligada com seus fios ligados ao peitoral metálico, prontos para resistirem aos ataques de qualquer Deus.

Ao entrarem no grande salão da pirâmide, não podiam acreditar nos seus olhos, grandes estátuas de cada um dos deuses estava presente sustentando a grande construção internamente, Ísis e Osíris estavam representados em grandes estátuas cada uma em um lado do trono de Hórus que estava sentado imponente e silencioso.

À frente das estátuas estavam os deuses formando uma espécie de corredor diante do largo e brilhante tapete azul com linhas douradas nas laterais, aliás, todo o salão era adornado em azul royal e dourado e a densidade das cores era quebrada pela presença de cada um dos deuses.

No início da fila de deuses estava Mut, a deusa mãe representando UnoCell ela fornecia os melhores animais para o abate e alimentação de todos os cidadãos das células e todos os deues, embora fosse uma mulher magra e pequena, sua pele negra escura era iluminada pela sua coroa dourada no topo de sua cabeça sem máscara, mesmo sem nunca ter visto o céu noturno, ele sabia que a pele de Mut era como a noite iluminada pela lua cheia, poética e misteriosa, suas longas tranças e adornos coloridos chamavam a atenção de qualquer um, e mostrando que diferente dos demais, ela não precisava de máscara animal para representá-la. Hatset olhou para a deusa que pareceu tremer diante do resplandecente olhar da garota.

De frente para Mut não havia ninguém, mas Hatset sentiu que como Mut era representante de UnoCell, sua companheira deveria ser Ísis, mãe de DuoCell que também era tão imponente que não necessitava de máscara, provavelmente as duas deusas humanas seriam as primeiras da fila para mostrar aos escolhidos que antes de serem deuses eles eram humanos e sua grandeza seria alcançada aos poucos até atingirem a grandeza de Hórus.

Em seguida vinham os representantes de TriCell e ArbCell, Hator e Sobek em seus trajes carcterísticos e suas máscaras metálicas, Hator com sua esplendorosa e branca como o dia, Sobek com sua máscara negra adornada com olhos azuis de pedras preciosas pareciam o ciclo do dia e da noite, tão familiar a Amon que ele estranhava ter feito tal analogia sem nunca der visto a noite.

Andando mais alguns passos estava Seth, o deus do caos, responsável por produzir tudo o que era de escala industrial do organismo de Hórus sendo responsável por CinCell e a quase desértica HexaCin. Seth era irmão de Osíris e ajudou Hórus a traí-lo e bani-lo com Ísis, Seth era magro, com uma pele de coloração terrosa, ele era muito magro e seu corpo curvado para frente parecendo não suportar o peso de sua imponente máscara metálica vermelha em formato de cachorro, suas pulseiras eram pretas como seus sapatos e cintada na cintura, junto de sua shendyt preta e dourada estava sua khopesh preta e dourada parecendo inversa à arma de Amon.

De frente para Seth, pareceia uma contraparte da mesma pessoa, um homem alto com músculos desenhados e robustos, pele negra escura, calças brancas como suas botas, pareciam imaculadas por qualquer sujeira que o deserto pudesse trazer, seus pulsos tinham braceletes brancos com detalhes dourados, assim como seus colares, a máscara era preta e dourada em formato de chacal, com grandes diamantes brancos nos olhos. O deus presente era Anúbis, responsável por pesquisar e exercer a medicina em SixCell.Por fim, após mais alguns passos, Amon, Sin e Hatset chegaram à base da escada onde estava o trono de Hórus, Sinthemet passou o baú para as mãos de Amon, a frente dos demais. Amon virou a abertura do baú para Hórus, os três ajoelharam e abriram a caixa que continha a cabeça de Ísis.

Quebrando o silêncio Hórus se levantou satisfeito, o homem negro, forte como anúbis, mas com sua musculatura coberta por um peitoral metálico escamado reluzindo em dourado, uma shendyt dourada com um lenço braco acinturado e cobrindo sua perna esquerda como se fosse uma cachoeira espumando para um frio rio. Suas sandalhas douradas chegavam até metade de suas canelas e em sua cabeça não havia uma máscara metálica como os outros deuses, sua cabeça de falcão era real, sua plumagem era azul e dourada e seu bico marrom escuro, seus olhos amarelos como se houvessem sóis queimando dentro de sua cabeça. Hórus segurava em sua mão uma lança grande com lâmina afiada e brilhante, havia algo diferente da lança de Sobek que eles haviam visto em ArbCell, mas os amigos não conseguiam distinguir.

- Finalmente! - disse Hórus - Conseguirei dominar HexaDuo e mostrar para aqueles degenerados quem manda neste mundo. Como vocês conseguiram ceifar a vida desta traidora?

- Foi um trabalho em conjunto. - disse Amon- Eu e Amon apunhalamos Ísis e Sinthemet cortou-lhe a cabeça. - disse Hatset

- Com esse machado. - disse Sin mostrando sua arma

- Pois bem, vou abserver os conhecimentos de minha mãe e usar aquele lugar onde ela mora para expandir meus domínios e tronar o planeta enfim harmonioso, preciso lutar contra as bestas da noite e evitar que eles destruam tudo o que construí. - disse o Deus.

Os amigos não entenderam o que estava acontecendo ou quem eram as bestas da noite, mas sentiram verdade na fala de Hórus. Ele desceu as escadas devagar e firme, os outros deuses se ajoelharam para reverenciar seu mestre, Hórus então pegou a cabeça morta de sua mãe e ergueu, mas sentiu que não havia sabedoria para extrair daquele cadáver.

- Impostores, vocês não mataram Ísis! Suas cabeças serão cortadas por isso! - disse Hórus extremamente transtornado.Hatset brilhou em uma aura de luz branca e cinza, seus cabelos flutuavam como se estivesse imersa em águas de sabedoria, Sin levantou-se empunhando seu machado e correu na direção de Hórus, que amedrontado por sua fúria apontou a lâmina de sua lança e disparou contra Sinthemet, o lançando lateralmente, o fazendo quebrar parte da estátua de Seth. Amon então levantu-se como se estivesse forjado em puro ódio, ele voltou seu olhar para Hórus e disse:

- Deveria nos temer mais que as criaturas da noite, sua destruição virápor nossas mãos!Neste momento, Hatset sorriu para Anúbis e piscou para o Deus que visivemente abalado só conseguiu dizer uma palavra.

- Mãe?!

Quase que ao mesmo tempo, de frente ao grande chacal, Seth tentou golpear Amon pelas costas que desviou a lâmina afiada da kopesh de Seth com sua manopla esquerda e com a mão direita desembainhou sua kopesh e tentou estocar a barriga do deus cachorro que conseguiu desviar sofrendo apenas um corte na lateral de seu corpo. Sobek vinha correndo ao fundo e jogou sua lança em direção a Hatset que começara a flutuar, a lança cortou o salão que em meio ao barulho ardente da batalha que começava pareceu silenciar-se para que ouvissem a lâmina do Rei do Nilo cortando o ar, o caminho da lâmina era livre e aberto até as costas de Hatset, que estava erguendo seu arco em direção à Hórus.

A lança de Sobek estava pestes a atingir as costas de Hatset em um golpe mortal quando Anúbis, pulou em direção à arma, interceptando-a no ar. Anúbis aterrissou ao chão rolando para frente, mas levantando rapidamente, Sobek  ficou perplexo com a traição de seu irmão que jogou a lança de volta em direção ao Rei do Nilo, que ainda não conseguia acreditar no que seus preciosos olhos enxergavam, a lança atravessou seu estômago e saiu pelas suas costas, deixando o artefato preso ao corpo de Sobek que caiu de joelhos. O deus cairia para frente, mas o cabo da lança interrompeu sua segunda queda deixando-o morto de joelhos.

Hórus vendo que seu precioso filho estava morto gritou algo que fez todos pararem.

- CHEGA! - disse Hórus batendo sua lança no chão. - Vocês acham que podem nos vencer? E se nos vencer, vocês acham que podem manter o povo de vocês a salvo? A Guarda Solar nunca vai permitir que o povo saiba o que aconteceu aqui! Vocês não passam de lixo imundo que merece ser queimado, e Anúbis pagará com a vida pelo que fez a meu filho!

- Então terei que pagar com minha vida também, pois Ísis está viva neste lugar!

Todos voltaram seus olhos para o fundo do grande salão e lá estava Mut, imponente e graciosa, como um paradoxo divino, caminhando entre deuses enfurecidos e os guerreiros amedrontados por sua missão. Mut se pôs diante de Hatset e curvou-se.

- Ela é uma impostora! - disse Hórus apontando para Hatset, em seguida ele apontou para Amon e continuou - E você, eu sei que tem família, sei a quem este lenço pertence e irei tirar sua mãe de você!Hórus colocou a mão no ouvido e pelo seu bracelete falou ao líder da Guarda Solar de TriCell

- Quero esta mulher morta em menos de uma hora.. como assim...? Como não pode? batalha? Eu não respondi porquê estou ocupado, quem mais precisa de ajuda?Neste momento Amon começou a rir e interrompendo sua conversa com o líder da Guarda Solar, Hórus perguntou.

- Do que você está rindo? O que você sabe?

- Você realmente está cego pelo poder, Hórus. É tão confiante em seu poder e autoridade que não enxerga que seu povo não respeita você, seu povo o teme, e por isso temos apoio para derrubar o símbolo de sua opressão, a Guarda Solar está sendo subjulgada neste momento. A partir do instante que a cabeça de Ísis foi erguida, os exércitos de DuoCell fizeram uma invasão coordenada nas suas Hexacities.

- Impossível, não é possível que DuoCell tenha crescido tanto assim em tão pouco tempo. metade da cidade foi dizimada durante a fuga.

- Você acha que o paraíso perdido que foi encontrado por mim já não era habitado e tecnologicamente desenvolvido? Sua soberba é sua fraqueza, sempre foi! - a voz de Ísis ecoava pela boca de Hatset.

- Vocês pagarão com a vida! - disse Hórus em tom desesperado - Matem estes traidores!

Seth novamente tentou golpear Amon que defendeu a investida do deus cachorro, Seth desferiu um soco forte no rosto de Amon que caiu no chão indefeso e impotente, neste instante, Hórus apontou sua lança para Amon que não viu que seria morto pelo Rei dos deuses. Hatset foi mais rápida e com uma flecha de luz arrancou parte do braço esquerdo de Hórus, que caiu no chão gritando de dor. Seth se distraiu com o grito e neste momento foi atingido por uma rajada de energia nas costas.

Amon olhou de onde veio a rajada solar e lá estava Sin, se levantando ainda tonto pelo forte impacto.

- A drenagem de energia funciona mesmo - disse SinthemetHórus e Seth se recuperavam aos poucos e os deuses que ainda estavam de pé eram Mut, Anúbis e Hator, esta conseguiu resistir às investidas de Mut e Anúbis com força. A deusa vaca era rápida e forte como uma leoa, em certo momento ela parou um dos socos de Anúbis e o arremeçou contra a sua estátua que estava bem atrás da deusa, Anúbis destruiu a face de vaca da estátua de Hator revelando a face de Sekhmet, a deusa leoa que antes fora Hator. Ela olhou aquilo e sentiu o que um dia foi, Mut não teve tempo de argumentar, pois Hator a pegou pelo pescoço com uma mão, com a outra, tirou a própria máscara de vaca, revelando uma máscara menor em formato de leoa, Hator então, vestindo sua antiga máscara como uma luva, perfurou o corpo de Mut várias vezes, maculando de sangue o vestido branco da deusa mãe, mais antiga que a própria Ísis.

Aquilo revoltou Sinthemet que correu na direção de Sekhmet com seu machado, eles iniciaram uma sangrenta batalha, Sekhmet golpeava Sin com suas garras afiadas e Sin revidava com seu machado, abrindo feridas no corpo da fera que foi liberta após sentir o cheiro do sangue de Anúbis, que naquele momento estava desacordado em meio aos escombros.

Seth correu em direção à batalha de Sin com Sekhmet, mas Amon o interceptou, ambos continuavam lutando com suas kopeshs intensamente, Hatset não se mexeu, mantendo seu olhar firme em Hórus que tentava se levantar, ela queria lutar, parte dela achou que faria a diferença naquela batalha.

- Ísis, me liberte, eu preciso ajudar meus amigos. - disse Hatset interiormente

- Você não era parte dessa batalha. - disse Ísis - Você surgiu como um receptáculo de meu poder, pois é sábia. Em uma batalha tão sangrenta eles acham que precisam de força bruta e na verdade precisamos de sabedoria. Se ninguém quisesse lutar, a luta não aconteceria, feche seus olhos e veja o que acontece em cada uma das Hexacities.Hatset fechou os olhos e pode ter um vislumbre das hexacities, lugares que ela já viu e outros que ela nunca havia visto antes, todos os lugares teve retaliação da Guarda Solar menos em HexaUno, lar de Mut e HexaSix, de Anúbis, lá a Guarda Solar era instruída pelos deuses mais sábios, eles lutavam pelos interesses do povo ao invés de atenderem os interesses de um deus vaidoso e imperfeito como era o caso das demais hexacities. Embora a guarda solar dos outros lugares tenha revidado os ataques de Osíris, a população apoiou os renegados, pois sempre tiveram medo de Hórus e precisavam apenas de um apoio.

- Você está aqui para impedir que Hórus use todo o seu poder contra Sin e Amon, se os dois morrerem a luta acabou mantenha Hórus fraco até o momento em que Amon o enfrente, lembre que sem você a luta correria da mesma forma, pois é assim que está destinada a acontecer coisas maiores estão no seu caminho e você deve confiar que em breve você terá seu grande momento. - terminou Ísis.A

o abrir os olhos, Hatset viu que Hórus estava de pé, ela lançou mais uma flecha, desta vez na escadaria que caiu sobre Hórus.

Sin já estava coberto por sangue, seu sobretudo todo rasgado e seu peitoral inutilizado pelos golpes da deusa e Sekhmet, antes chamada de Hator tinha todos os ossos de uma das mãos quebrados no meio da batalha contra o guerreiro, cortes fundos emanavam sangue de seu corpo, mas o machado de Sinthemet estava no chão, quebrado e sem uso. O golpe que inutilizou a arma foi dado na máscara da deusa, que rachou expondo parte de sua face, mas isso custou a integridade do machado de Sin que se despedaçou.Do outro lado do salão Amon e Seth continuavam a lutar. Amon tinha cortes por todo o corpo e para ter mais agilidade, abandonou seu pesado sobretudo, mantendo-se apenas com seu peitoral metálico ainda em funcionamento, seus braços e pernas tinham pequenos cortes e seu rosto hematomas.

- Hórus me falou sobre você. Ser inferior. Nasceu mulher e ainda erra em querer se passar por homem, você não aceita o corpo que divinamente foi dado a você e por isso vai morrer, vai morrer como seus amigos, a sua alma vai ser arrastada até o Duat e comida por Ammit, eu farei questão de estar presente lá para testemunhar sua danação, criatura infernal, mas talvez antes eu lhe ensine a aceitar ser quem você nasceu, e não acriatura que você se tornou. - disse Seth com maldade e malícia

- O corpo é uma concha que apenas abriga nosso verdadeiro ser, o receptáculo tem várias formas e tamanhos, mas o que importa é o que está guardado lá dentro, você pode não aceitar e achar que nosso interior deve ser exatamente igual nosso exterior, mas você é igual por dentro e por fora? - Disse Amon enfiando com força sua kopesh na barriga de Seth fazendo um corte profundo. Amon deslizou suavemente sua lâmina na diagonal, expondo os órgãos de Seth que caiu ao chão em um grito de dor agudo e quase mortal

.Quando Amon se virou, viu o que parecia ser os últimos momentos de Sin, ele pegou o resto de seu machado que estava no chão e empalou Sehmet no tórax, a deusa gritou e sua máscara escorria sangue pelos orifícios. Ela fechou sua mão e com toda a força que ainda lhe restou, golpeou Sinthemet com um forte soco na garganta o fazendo cair no chão engasgado com o próprio sangue. Cada um caiu para um lado, Amon abraçou o amigo chorando e implorando para Sin não morrer, mas seu amigo só engasgava e respirava com dificuldade. Uma sombra cobriu os dois.

- Eu vou levá-lo para SixCell acho que ainda dá tempo de curá-lo. Hórus precisa morrer, vai lá e acaba com isso. - disse Anúbis de forma imponente, ele não estava muito machucado, pois não pode participar da batalha, ele pegou o grande e pesado Sin como se fosse leve como uma criança e correu para fora, Amon ouviu o ronco do motor de uma das naves e levantou-se.

- Hórus, você é o próximo. - disse Amon com ódio.Hórus terminou de retirar os escombros, ele estava muito machucado e com apenas metade de seu braço pendurada em seu tronco. Hatset parou de brilhar e aos poucos foi descendo até chegar ao chão.

- Acho que o papel de Ísis foi cumprido, Amon, te aguardo lá fora. - disse Hatset

- Se ele sobreviver. - disse Hórus.

Hatset apenas sorriu e deixou o grande salão fechando a porta atrás de si.

Continua...

Por: Tot

As notícias mais quentes