CyberHorus - A crônica de Tot Capítulo 10 - O Alvorecer

17/11/20

Tot, o deus egípcio dos escribas é famoso pelos seus contos e crônicas, desta vez em conteúdo original, será iniciada uma série escrita que contará a história de um futuro distópico governado pelo misterioso Deus Hórus e suas células de poder.A história possui elementos Cyberpunk e Steampunk e contará uma jornada de autoconhecimento do misterioso Amon.Perdeu o capítulo anterior?Capítulo 10 - O AlvorecerNinguém podia acreditar em seus olhos, Ísis estava morta, sua face sem vida ainda resplandescia em imponência e maestria, era como se ela ainda pudesse se comunicar com Amon, Hatset e Sinthemet. O baú era feito da madeira mais forte de HexaDuo, com tiras de couro do mais forte animal daquele lugar, presos com rebites do aço forjado nos campos de lava do topo das montanhas mais altas da hexacity.- Por quê? - caiu Amon de joelhos- Era necessário - respondeu Hatset com a mão em seu ombro e um pesar na voz.Osíris fechou o baú e explicou como os três deveriam proceder e porquê não precisavam se preocupar, ele possuía um tremor na voz e a dor da perda o fazia perder a fala de instantes em instantes.- Os escolhidos só possuem poder suficiente para matar um único deus, depois disso ele se torna fraco e vulnerável, acho que Hórus vai usar isso contra vocês, ele tem medo de invadir nosso espaço, pois é um caminho difícil e cheio de perigos, nosso planeta possui galerias imensas que se extendem para qualquer território, há apenas 4 entradas que são muito bem vigiadas, mas fizemos túneis ligando nossas salas de treino até a base das cidades, sabemos a hora do toque de recolher da Guarda Solar e como atacar sem que nenhum inocente morra. Vocês só precisam aguentar firme até o toque de recolher, todos os Deuses irão se reunir e tentarão matar vocês, pois pensam que estão fracos, além disso Hórus tentará absorver a sabedoria de Ísis para ficar mais forte.- Receio que nisso ele falhará - disse HatsetTodos olharam para a jovem que parecia flutuar a uma distância baixa do chão. Seus olhos tinham um brilho lindo que transmitia paz e calmaria.- Creio que antes de Ísis sair daqui, ela já havia transmitido sua sabedoria para mim. Ísis não morreu. - Hatset disse sorrindo.- Como não? - indagou Amon- A morte... A morte é só o início. O corpo perece e a carne se desfaz, isso é natural, mas após nossa matéria apodrecer, nossa sabedoria e influência permanece viva, ela inspira pessoas e molda suas vidas, um pequeno ato, seja ele bom ou ruim ecoa para sempre pelo tempo e molda a história. Grandes genocidas não decidiram ser genocidas, um pequeno ato no início da história cresceu pelo tempo até inspirar este ato criminoso, o mesmo se diz sobre grandes sábios que tentaram guiar a humanidade à paz.E continuou- Quando entramos aqui, Ísis disse que eu era um elemento inesperado, mas ela sabia que eu era o elemento que faltava e que nunca havia sido mencionado nas profecias, talvez nem Hórus saiba disso, mas eu era o receptáculo que receberia não só a sabedoria de Ísis, mas sua essência, assim como os filhos de Hórus, eu agora possuo o poder divino fluindo em minhas veias.Hatset tirou sua aljava e tirou a corda de seu arco, antes que pudessem questionar, ela fez o movimento de tensão e ao soltar, uma flecha de pura luz cortou o ambiente e destruiu um armário que havia no canto da sala, a força era maior do que qualquer flecha.Osíris disse que antes de partir, os três deveriam aprender a lutar e se defender e iniciou um treinamento em uma câmara secreta, oculta dos olhos de qualquer deus de qualquer cultura e por uma semana nem eu, Tot, consegui ver nada ou escrever sobre isso. A única certeza é que eles saíram de lá melhores, mais confiantes e mais fortes, seus defeitos não foram removidos, mas suas virtudes foram fortalecidas.Assim, eles embarcaram no trem, Osíris os acompanhou durante toda a viagem e quando chegaram ao seu destino, o Deus apenas disse poucas palavras, que marcaria a vida dos três para sempre.- Que a Sabedoria jamais seja silenciada.Eles subiram a escada até a escotilha que fora aberta momentos antes por um dos soldados renegados de Osíris, ao sair de lá, Amon sentiu novamente seu coração acelerar, sua respiração encurtar, diante da visão desértica e sem vida, o baú parecia pesar cem quilos, o sol era quente e sua roupa tornava tudo mais quente e abafado, mas cada tecido que cobria seu corpo era necessário, cada metal que pesava em seus ombros possuía uma função.Os três caminharam até os muros da cidade mais próxima, HexaTri. Em uma das torres no canto da hexacity um soldado da Guarda Solar avistou os três, ele preparou sua arma que brilhava como fogo, o vigia levantou sua arma e apontou para os três e antes que pudesse atirar, Amon colocou o baú no chão e com uma das mãos levantou a cabeça sem vida de Ísis. O vigia abaixou a arma e colocou a mão em seu comunicador na lateral da cabeça, voltou os olhos para o trio e novamente abaixou a cabeça mexendo-se como se falasse algo desesperadamente.Muito rapidamente, uma nave partiu de HexaTri e pousou ao lado dos amigos, suas saídas de ar expulsava areia e calor dos motores, o brilho na parte superior traseira do veículo brilhava, indicando que o novo modelo era movido a energia de um reator que funcionava como um pequeno sol dentro da nave alimentando os motores e as armas. A porta traseira se abriu e dois membros da Guarda Solar desembarcaram abrindo caminho para o embarque de Amon seguido de perto por Hatset e Sinthemet.Ao invés de partir para cima direto e pousar em TriCell, a nave virou-se e partiu rumo a HelioCell. O impulso da nave era forte como uma besta descontrolada e selvagem, o ronco do motor movido ao seu próprio sol era forte e grave, o pouso foi leve e gracioso e havia mais outras cinco naves nos arredores da grande pirâmide.Era a primeira vez que Amon, Sin e Hatset chegavam tão perto do Sol particular de Hórus, ele era grande, e parecia uma bola de gases roxos e laranjas que tingiam o céu. Por estar acima de qualquer outra célula do Organismo, o ar era difícil de ser respirado, a pressão sobre o corpo parecia tornar seus membros e tronco mais pesados. Sin e Hatset sentiram-se mal naquele ambiente, seus corações tremiam de puro medo e insegurança, mas Amon parecia nomal, parecia confiante e acima de tudo, não demonstrava sentir nenhum peso sobre seu corpo.- Você não está sentindo isso? - disse Sin- Isso o que? - questionou Amon- Essa atmosfera pesada, parece que meu peito vai explodir, meu coração nunca ficou tão apertado na minha vida, eu não consigo respirar. Eu acho que não vou conseguir dar nenhum passo para dentro daquela pirâmide sem ceder, não me sinto mais tão forte assim, eu tenho medo, acho que não vamos aguentar.Sin comecou a chorar, engasgando entre suas lágrimas e puxadas de ar mais fortes. Amon abaixou-se e no nível de seus amigos lhes olhou nos olhos.- É assim que eu me sinto o tempo todo, às vezes é pior, mas na maioria das vezes tenho medo, dificuldade para respirar, meu coração aperta e a única coisa que consigo achar procurando dentro de mim é medo e insegurança. Vocês sabem que nasci diferente dos outros homens. Nasci em um corpo que não me pertencia, sempre sofri por causa disso, sempre fui pressionado e questionado, nem sempre tive a proteção de Sin ou a Astúcia de Hatset, mas tive que aprender a conviver com o medo e insegurança. Não foi fácil, mas aqui estamos mesmo sempre sentindo essas coisas, quando estou com vocês me sinto o homem mais forte deste mundo e de outros mundos, eu posso parecer confiante, mas não estou. Não estou, porque vocês não estão. Precisamos nos apoiar e estarmos lado a lado enfrentando qualquer desafio. Vocês estão comigo?- Sim - disse Sinthemet se apoiando em seu joelho esquerdo e se erguendo puxando o ar tão forte que pareceu sugar todo o oxigênio do lugar.- Estamos com você. E que a Sabedoria jamais seja silenciada. - disse Hatset.- Então vamos juntos, se triunfarmos ou falharmos faremos isso unidos. E que a sabedoria de Ísis ilumine nossos passos.Continua...Por: Tot

As notícias mais quentes